sexta-feira, 25 de novembro de 2011

NOTA SOBRE O LANÇAMENTO DE, POEMAS DE UM HOHEM SÓ

NOTA:

Do que referi no lançamento do livro, POEMA POEMAS DE HOMEM SÓ, superiormente, apresentado pelo meu amigo Yebora, Professor Catedrático jubilado, pela Universidade Compustense, de Madrid, Espanha:
                             
Para se escrever poesia, ou bem ou mal, é necessário esta vir de um apelo interior.
Talvez sem o descortinar, é facto que desde muito cedo me interessei pela poesia. Comecei a absorvê-la em publicações de carácter religioso, quase sempre monótonas ou bucólicas, para o meu gosto.
Em 1972 escrevi e publiquei alguns poemas em periódicos regionais.
Depois de um longo interregno, após um trambolhão patológico, voltei a escrever poesia.
De referir que o presente livro: POEMAS DE UM HOMEM SÓ, são de um período, a gosto de chamar NAÍF.
Porém, ler poesia sempre me motivou e sempre tentei beber algo nela.
Escrevendo a minha própria poesia, sinto não ter retido uma, mas variadas influências.
Dentre outros, ter-me-ão influenciado: João Miguel Fernandes Jorge, Joaquim Miguel Magalhães, António Franco Alexandre, António Cabral (?) etc.

Daniel Costa
                                                   
                                                     

                                    

                                     

                                               

O livro pode der pedido: fozmiguel@hotmail.com - 192 Págs. - do Brasil aceito o pagamemto com 20 notas de banco fora de circulação.

7 comentários:

  1. Sempre existe muito de nós mesmos no que escrevemos. E você é ótimo nessa arte.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  2. Só a nota já nos permite sentir que o interior
    externa o melhor.A capa, amei!
    bjs

    ResponderEliminar
  3. Meu querido amigo

    Eu me encantei com AMOR NA GUERRA e CAFÉ LISBOA. Livros belos, bem editados... e conteúdo digno de aplausos. Você colocou fatos históricos na realidade, em crônicas maravilhosas.
    Hoje, me emocionei ao receber POEMAS DE UM HOMEM SÓ. Quantas poesias de sua autoria para me alegrar. Cada uma delas é para ler em silêncio e viver a emoção que causa.
    MUITO OBRIGADA! VOCÊ ME FEZ FELIZ COM O PRESENTE. Tenho, agora, em minha casa, um pedacinho dos seus sentimentos, em lindas palavras. Livros preciosos para mim.

    Bjs.

    ResponderEliminar