segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

PORTUGAL - SAGRES

3 comentários:

  1. Como é lindo por aí!!Adorei! abração praiano,chica

    ResponderEliminar
  2. Olá, estimado Daniel!

    Como tem passado? Melhor, sempre melhor, graças a Deus.

    Estive a ver este vídeo, sobre Sagres, mas ai, eu tenho de ser sincera: DETESTO O MAR (isso está nos meus blogues no "Acerca de mim") e lugares, por onde ele passe, demasiadamente, portanto, NÃO GOSTO DO ALGARVE. Se é algarvio, olhe as minhas desculpas, mas gostos não se discutem, "aceitam-se", no mínimo.

    No Algarve só vejo é água por todos os lados e estrangeiros, e os algarvios, os naturais, têm um ar triste e muito submisso (mas nada tem a ver com a crise atual, porque sempre me lembro do Algarve e dos algarvios, assim). Os que estão empregados em restaurantes, esplanadas e cafés, não ligam nenhuma aos portugueses, só ligam aos estrangeiros, porque são eles que lhes dão boas gorjetas e dão vida económica e não só àquela província.

    Algarvios e alentejanos não têm nada em comum, embora os Árabes tivessem estado nas duas províncias tantos séculos, só que nós, alentejanos, assimilámos a cultura deles, de uma forma bastante diferente e muito mais livre (nós não comemos na gaveta, comemos nas mesas ou no chão, nos campos).

    Obrigada pelo suas palavras no meu blogue, mas olhe que não é TALENTO, é mais imaginação e fogo de vista porque os olhos também comem.

    Um dia feliz, embora este tempo só nos dê conta da cabeça.

    Beijinhos da Luz, para si, mulher e filha, e vá aparecendo, porque eu admiro-o muito.

    Sou alentejana, como muito bem sabe, e só tenho o Guadiana, mas está fora de portas. Quando vou a Serpa, comprar queijinhos, é que, "desgraçadamente", passo em cima da ponte, e o malfadado está por baixo, e nem olho.

    Conheço Sagres, porque fui "obrigada" a ir numa visita de estudo programada pela escola, e por azar meu, eu também sou licenciada em História, portanto, lá tive de ir. Comigo foram também um colega e uma colega, e eles foram mesmo até à PONTA DE SAGRES, para explicar os Descobrimentos e a ação do Infante D. Henrique, e eu fiquei na capelinha rezando, fiz umas fotografias a umas senhoras brasileiras, porque me pediram e ali fiquei sossegada à espera dos meus colegas e alunos.

    ResponderEliminar
  3. O comentário acima ficou "de cabeça para baixo", Daniel!

    Peço desculpa, mas foi falta de atenção da minha parte.

    Beijinhos da Luz.

    ResponderEliminar