quarta-feira, 10 de novembro de 2010

POEMA MAGIA



MAGIA

Adoraria ser pintor
Em minha tela
Reteria as cores do amor
As cores que gostaria para o mundo
Não me importaria ser escultor
Esculpiria um mundo
Mais luminoso, mais sedutor
Evitaria que se tornasse imundo
Apenas houvesse lugar ao amor
Não me assumo como poeta
Gostaria contudo
Que a paz fosse completa
Que entre os homens nunca
A guerra fosse meta
Se fiz coisas inauditas
Porque não ajudaria
A acabar com permissões esquisitas?
Ajudar a que no mundo
Apenas houvessem coisas bonitas
Decretar, delegar as feias
Para outros mundos
Para outras teias
Que o amor saia vencedor
Onde para todo o sempre se ergam
Tendas, sem fendas de amor,
De magia de amor

Daniel Costa



1 comentário: