segunda-feira, 8 de novembro de 2010

POEMA SARA


SARA

Numas férias de Verão
Fui até ao hemisfério sul
Tentava sanar a solidão
No país onde tudo é azul
Estava no Rio em Copocabana
Em terras do Cruzeiro do Sul
A nostalgia era sorte
Passando por São Paulo
Saltei fica a norte
Naquela praia em Santos
Era enfim dia de Sorte
Sara encontrei
O coração fez como que clique
De imediato me apaixonei
Num lance, amar até a morte
Prometi, jurei
Estava na frente de uma mulher
Como sereia, de repente me apaixonei
Sara formosa
Consentiu, numa prece beijei
Já amava, não devia
O coração traiu-me, eu sei
Sara beijei
Coordenadas de São Paulo estava a sul
Naquela praia de Santos
Vi todo o mundo azul

Daniel Costa

6 comentários:

  1. Cuidado c/ pessoas que alimentam cobras, elas podem se virar contra vcs.

    ResponderEliminar
  2. Querido Daniel, amigo!

    Sara é nome de mulher...
    Sara é nome de amor!
    Lindo o teu poema, como sempre.

    Beijos

    ResponderEliminar
  3. Daniel,

    O amigo teve sorte boa!

    Beijos e linda semana, Daniel.

    ResponderEliminar