domingo, 19 de dezembro de 2010

POEMA NAELA


NAELA

Uma mulher bela
Mora na nevoeirenta Londres
É a elegante e bonita Naela
Quem a vê parece-lhe azougada
Quem a conhece e fala
Fala com uma mulher terna e delicada
Apaixonada pela sua cidade, Lisboa
Muitas vezes sente-se
Em Londres a saudade soa
Pela bendita e solarenga capital
A cosmopolita Lisboa
Como cidade mais pequena
Não fará mulheres grandes
Trabalha na cidade do Big –Ben serena
Sendo do signo balança
Embora de mente impulsiva
Tem serenidade e delicadeza de criança
Feminina sensual e azougada
Pela sua prosa diria irreverente
Será fruto de mulher delicada e amada
Assim é a sensível Naela
Essa mulher idolatrada
Em Londres é consultora
Ao seu trabalho dedicada
Naela é uma grande senhora

Daniel Costa


4 comentários:

  1. Querido Daniel.

    FELIZ NATAL!

    Beijos e abraços.

    ResponderEliminar
  2. Boa noite, Daniel
    Pois Naela serátudo isso e mais alguma coisa, já que é do signo de Balança, o meu :))).
    Não tenho o prazer de a conhecer.
    Tem um rosto atraente, um olhar inteligente, e o interior deve ser igualmente bom, para merecer de ti um lindo poema...

    Noite feliz. Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. As musas de Daniel.Mais um belo poema homenagem.

    Beijos querido e ótimo início de semana.

    ResponderEliminar
  4. Daniel,

    belíssimo e merecido poema a Naela que constatamos em cada verso ser uma bela e fantástica mulher.

    Carinhoso beijo Daniel e Naela.

    ResponderEliminar