domingo, 26 de dezembro de 2010

POEMA Ó ELIZAMA


Ó ELIZAMA

Uma mulher feia tem quem a ama
E uma mulher bonita?
Mulher tão bonita como Elizama?
Será mais fácil encontrar
Quem a adora e ama
Para se pretender amar
Um coração bonito como o de Elizama
Coração aberto como o mar
O mar sonha-se na cidade de Natal
Natal do Rio Grande do Norte
Grande como o seu extenso areal
Natal na costa norte onde tudo é azul
Azul como o seu mar
Do espaço dominada pelo cruzeiro do sul
Atravessando o oceano
Pode chegar-se e esse longínquo Natal
Onde trabalha e mora não há engano
Na área da saúde, esse mundo
Carecido de ser muito humano
Como Elizama, mulher de amor profundo
Amar e sentir a ternura dessa mulher
É conhecer um melhor mundo
É na cidade de Natal que se ama
No Rio Grande do Norte
A bonita mulher e mãe Elizama
Onde se sente o cheiro da maresia
Na área também designada por sol
Onde este bafeja o mar e o areal todo o dia
Os deuses sol e mar se espraiam como num lençol
Onde a interessante, a bonita Elizama
Irá observar e palpitar
A felicidade de quem a ama
Ó mar brilhante límpido, azul
Ó bela de nome invulgar Elizama

Daniel Costa


3 comentários:

  1. Uma paisagem marítima de fundo pra enfeitar mais ainda sua homenageada. Mulher com "M" maiúsculo! Amigo, desehjo um Ano Novo de alegrias, sonhos realizados, surpresas boas, saúde e muito amor para colorir toda a felicidade que lhe desejo. Montão de bjs e abraços

    ResponderEliminar
  2. Belos versos, Daniel.

    Feliz Ano Novo.
    Até lá!:)

    Beijos.

    ResponderEliminar
  3. Lindo Poema, Daniel...
    Voltarei mais tarde para lhe convidar a pegar meu cartão de aniversário... Ainda vou fazer rsss...

    ResponderEliminar