terça-feira, 5 de outubro de 2010

POEMAS UM HOMEM SÓ


AMOR NA GUERRA

Amor na guerra
Vivendo o conflito
A paz que se desterra
A ternura no dito
Equacionar amor em guerra
Poderá parecer esquisito
Porém momentos de paz
Esperam do infinito
A ternura virá por correio
Arma do bendito
Amor de guerra
Horas da individualidade
Pensa-se no direito à vida
Escreve-se com saudade
O conflito nem sempre dura
Lá longe, muito longe
Chegará a hora da candura
Na guerra pode sorrir-se
Vislumbrando a ternura
Enquanto se luta
Procura-se a honra com bravura
Pensar no amor
Jamais será loucura

Daniel Costa

2 comentários: