quinta-feira, 21 de outubro de 2010

POEMAS UM HOMEM SÓ


VICÍOS

Apelidar de desperdícios
Todas as actividades
Relacionadas com vícios
Fumar, comer ou bebericar
Jogar, muitos outros tentar
Dir-se-á que são tiques
Os vícios serão de experimentar
Ver e aprender estará bem
Desde que não se passe o limiar
Passar o patamar será doce
Mas causa danos de arrepiar
Por exemplo, se drogar
Causará incompatibilidades
Com terceiros, que a notar
Sofrendo serão os primeiros
Ao prazer
Vícios podem suceder
Quem se vicia, arrisca-se
Prematuramente a perecer
Quem gostar de viver
Terá de procurar outro prazer
Deixar o vício tomar poder
É achar-se forte, mandão
Afinal prepotente,
Doente então
Deixou que o vício o domasse
Na sua vida entrasse
Qual sereia, que atrai e enleia
Transforma
Na sua própria teia
Contra o vício, sejamos fortes
Não é, o danado, a doce Hermengarda
É como demónio de espada
Denodadamente içada

Daniel Costa


2 comentários:

  1. Oi, meu querido amigo!
    Esse Poema é uma lição de vida, pois vemos tantos jovens e até adultos, perdidos nesse ciclo vicioso.
    Estou muito feliz por você, Daniel. Parabéns pelo lançamento ddo seu livro.
    Deus sempre protege os seus filhos!!!Bjsss

    ResponderEliminar
  2. Amigo um poema bem interessante. Uma forma poetica de falar dum problema de sempre, "os vicios", que tantas vidas têm destruído de uma maneira ou de outra.
    Tenha um excelente fim de semana
    bjs
    Maria

    ResponderEliminar