sábado, 16 de outubro de 2010

POEMAS UM HOMEM SÓ


ATALAIA

Não sou voyaer
Não resisto de mansinho
Apreciar uma linda mulher
Naquela praia de brancas areias
Ali à beirinha do mar
Passava uma mulher bela
Não resisti
Fixei o olhar nela
A meus olhos
Que mulher bela!
Naquela praia
Elegante bonita singela
De atalaia, via-a como sereia
Oh que mulher bela!
Calma serena
Sonhava com a visão
Visão terrena
A mulher absorta passeava
Como numa verbena
O cheiro a maresia, um gosto
Na minha atalaia
Esquecia, passava a mulher
A mulher, tal faia
A despertar dalgum torpor
A mulher elegante bela
Será isto platonismo
Ternura ou platónico amor?

Daniel Costa

4 comentários:

  1. Sabes que gosto muito deste poema, não querido? Gosto ainda mais de ti. Deixei de acompanhar um blog meu, para seguir-te plenamente. Mereces o melhor.
    Beijos e sucesso!
    Boa Noite/ Bom Dia

    Se puderes, vai à Galeria. O poema é belo e as ilustrações idem.

    ResponderEliminar
  2. Amigo Daniel!

    "Voyeur" não é mesmo...é tão somente, um homem que sabe apreciar e viver a beleza dum corpo de mulher...mulher que sendo bela deixa poesia no ar, bela como a sua.

    Obrigada.
    Beijoooooooooooooo

    ResponderEliminar
  3. Impossivel não apreciarmos uma bela mulher em sua plenitude,,,em seus passos,,,em sua areia molhada de amor,,,,belissimo poema meu amigo,,,obrigdo pela sua amizade,,,paz de uma bela semana,,,abraços fraternos...

    ResponderEliminar
  4. Olá Daniel,
    Bonito poema!

    Abraço dos Alpes

    ResponderEliminar