quarta-feira, 21 de julho de 2010

POEMAS UM HOMEM SÓ


Artur Agostinho, um homem multifacetado, notável comunicador, foi-o na rádio, na televisão, em jornais (Director do Record, jornal desportivo) - foto Internet

AOS DOMINGOS

Estava numa outra idade
Tempos com poder de saudade
Muito cedo badalavam os sinos
Era aos Domingos
Tudo se erguia e antes da capela
Passava-se na sacristia
Dava-se início a maravilhoso dia!...
Depois um ritual de louvor
Ao Deus Senhor, dito Salvador

***
Nas tardes outro ritual
A constituir vida simples e original
A audição do futebol na E. Nacional
O Artur, o Nuno, o Amadeu
De memórias, que mais sei eu?
Numa produção da Sonarte
Três jogos em simultâneo
Um sonho de arte
Dizia, agora o Agostinho
Aparecia o Nuno: Atenção Amadeu!....
Aqui o esférico vai chegar ao Matateu.
Rematou!... Não foi!

***
Aqui Albano dá para Tavassos
Passou para Jesus Correia
Foram demasiados passes

***
Olha, aqui aconteceu tremideira
Acorreu o Ângelo
Protegeu, não era preciso
Chegou o Moreira

***
Assim se passava bom Domingo
O sétimo dia, a felicidade
Certamente inteira
A seguir o trabalho
O campo e o doce orvalho
Chegava a Segunda-Feira.

Daniel Costa


1 comentário: