segunda-feira, 12 de julho de 2010

POESIA UM HOMEM SÓ


Activista na luta contra a violência doméstica

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA
E A MULHER

Um ser humano uma mulher
Tem sentimentos apurados
Mais sensível que um homem qualquer
A avó, a mãe, a filha, a amante
Por vezes a secretária
Eis a fusão de sentimentos da mulher
Sua sensibilidade, sua humanidade
Complementam a amizade que se quer
Quando homem e mulher se unem
Há dois corações
A princípio amantes que se fundem
Na cordialidade
Devem cultivar um grande amor
Amor de humanidade
Poderá fenecer o amor
Nunca o sentido da humana lealdade
Conjugaram-se homem e mulher
Que nunca falte sinceridade
Podem acabar os amores carnais
Jamais o amor de humanidade
Há mulheres que também usam rebeldia
Tanto ela como ele
Terão presente uma mente doentia
Será necessário
Ter o sentido do humanismo em dia
Acabar o amor hoje, não dispensa
Se pense na sensibilidade do amor de outro dia
Homem e mulher juntos formam uma unidade
Biologicamente diferentes, é certo
O fim deve ser amar até a eternidade
Excluam-se violências
Faltas de humanidade
Não pactuemos com um mundo onde
Prolifera a insanidade, quiçá a maldade
A mulher a sofrer as loucuras
A doentia desumanidade

Daniel Costa

4 comentários:

  1. Oi, Daniel.

    Vim conhecer o novo blog.
    Gostei muito.
    Parabéns.

    Beijos.

    ResponderEliminar
  2. Valenita

    Já que destes o prazer de aparecer, ficas a saber que o blog, são repetições de POEMAS MILAGRE, numa tentativa de selecção e ordenamento, para tentar o terceiro livro que espero editar, uma vez que o segundo já foi aceite, AMOR NA GUERRA.
    Agradecimentos e beijhos.
    Daniel

    ResponderEliminar
  3. Oi, Daniel.

    Não consegui acessar teu e.mail novo.

    Obrigada pela atenção.

    Beijos.

    ResponderEliminar
  4. Olá Daniel,
    Gostei de seu poema à beleza da mulher.
    Esse ser único que nos fez nascer, crescer e amar.
    Se O fim deve ser amar até a eternidade, haverá razão para essa violência? Não!
    Se elas forem olhadas como olhamos a nossa mãe. Não haverá violência.
    Um abraço.

    ResponderEliminar