sexta-feira, 6 de agosto de 2010

POEMAS UM HOMEM SÓ


GORETE

Aconteceu no Ceará
A bruxinha me levou
A bruxinha não era má
Um dia me catrapiscou
Apareceu o sabiá
Sexta-Feira treze me pregou
Partidinha de me levar ao Ceará
Ali não sabia quem sou
Valeu o sabiá
Ele me segredou
No areal vês a Gorete
Bela e sensual mulher, um bijou
O areal é extenso
O sabiá me animou
Que mulher aquela, meus deuses!
Já sabia então quem sou
A Gorete, sua beleza cearense
Ternura e bondade me conquistou
Gostei dela
A bruxinha não gostou
Ela não era de todo má
Acabara o feitiço sumiu voou
A olhar embevecido a Gorete
Meu coração ficou
Gorete a ternura de mulher
Como o sabiá indicou

Daniel Costa


1 comentário:

  1. Olá estimado amigo Daniel, belo poema que dedica à Gorete, é uma linda homenagem.
    Parabéns também à homenageada.

    Tenha um bom fim de semana.
    Beijinhos

    ResponderEliminar