segunda-feira, 23 de agosto de 2010

POEMAS UM HOMEM SÓ


RADIONOVELAS
FOTONOVELAS

Antes de chegar e ainda com a Televisão
Rádio Novelas e Fotonovelas
Constantemente em exibição
Na rádio duraram elas
Depois passaram à pantalha
Do mundo da visão
Entre outros, actuavam na radiofusão
João Lourenço, agora encenador
Henriqueta Maia, Irene Cruz
A lembrança regista Álvaro Benamor
E os romances do Tide?
Revistas de fotonovelas
Estava activa dona PIDE
Para donas de casa eram amor
Em capítulos de revistas
No “Magazine,” produzido pelo Más
Na “Plateia” do Dias e Mário de Aguiar
Parte integrante da colmeia
Específicas da Palirex, da Íbis
Agência Portuguesa de Revistas
Colocavam a banca cheia
Estes alguns produtores
Muitos da Corin Tellado
Eram produto enlatado
Recordo as da Palirex
Revistas, como a “Zaida”
Lembro também a “Dora”
Acabaram cedo, não teriam saída
O Idílio, a Carícia
Um mundo encantado de delícia
Segredo do indomável talento
Do Roussado Pinto
Metamorfoseado em Edgar Cagil
Haverá subtileza, não minto
Artistas esporádicos
Performances belas
Numa protagonizava
Nunes Forte e Cristina Cassola
Fotogenia, arte para fotonovelas
O Emílio, o Monteiro
Porque não o nome da sedutora
Maria José primeiro?

Daniel Costa

3 comentários:

  1. Que coisa boa essa lembrança da fotonovela!Eu quando adolescente comprava sempre e ainda trocavamos entre as amigas para não perder nenhuma história. Bons tempos! Montão de bjs e abraços

    ResponderEliminar
  2. ...velhos tempos...

    saudades muitas!

    bj, poeta!

    ResponderEliminar
  3. Bonito poema. A Cristina Cassola de que se refere, éra minha irmã. Por acaso ainda tem uma cópia dessa revista? Como sabe ela faleceu em 1975, mas gostava de lhe comprar o exemplar, se ainda o tiver. Ou se souber como o obter, agredecia.

    ResponderEliminar