quinta-feira, 19 de agosto de 2010

POEMAS UM HOMEM SÓ


SUAVE GRITO

Maria Dolores
A quem me prendi
De amores
Bem tudo corria
Até que,
Um certo dia
Apareceram
Ataques de epilepsia
Não vieram só
Também a esquizofrenia
De meter dó
Não feneceu o amor
O amor de algum dia
Amor de humildade
Sempre amor
Quiçá de humanidade
Talvez a procura
A sinceridade
Não possuir vaidade
Pensar defesa de entes
O grito de sanidade
Com sorrisos
O grito tranquilo
Foi sendo abafado
Salvar o espaço
Era fado
Veio a compensação
Merecia?
Talvez sim, talvez não!
Sempre sorridente
Graças à Dolores
Tomou posição
Floriram os amores
Dei volta ao cosmos
Veio nova encarnação

Daniel Costa


3 comentários:

  1. Daniel querido amigo,

    um belo e sentido poema onde o AMOR é sempre o tema entremeado de infinita ternura e doçura.

    Carinhoso beijo.

    ResponderEliminar
  2. O Amor esta presente nestes versos de infinita beleza! Maria Dolores a musa inspiradora de tamanha magia!
    Beijo doce

    ResponderEliminar