sábado, 4 de setembro de 2010

PEMAS UM MOMEM SÓ


Foto Isabel Almeida: antigos barcos rabelos,
que transportavam o Vinho do Porto, pelo Rio Douro
 para Vila Nova de Gaia, que se avista na outra margem
 
A VIAGEM

Num dia de solidão
Concebi uma viagem
Desde então a minha vida
Conheceu uma viragem
Esvoacei até ao infinito
Avistei um mundo esquisito
Um primeiro a apregoar milhões
Povo apenas com miragens
Onde apenas chegam tostões
As farturas no reino
Pareciam ser tantas
Eram bravatas afinal
De quem veio falar de beatas
Aconteceu em Portugal
Um país de beleza natural
Onde há homens
De tamanha pequenez
Foi assim que Deus os fez
A apregoar riquezas
Onde apenas há mesquinhez
Que caminho segue Portugal?

Daniel Costa

1 comentário:

  1. Perfeito o poema desabafo amigo. Aqui também não é diferente não. Em época de eleições muitas promessas de distribuir a riqueza,depois quando estão no poder é só mesquinhez. Adorei! Montão de bjs e abraços

    ResponderEliminar