sexta-feira, 10 de setembro de 2010

POEMAS UM HOMEM SÓ


POBRE

Nascer é condição
Vir ao mundo pobre
Não é defeito então
Deve lutar-se contra
Essa condição
Criada pela sociedade
Numa eterna aberração
O pobre de espírito
Se nasce pobre
E não luta
Além da condição
É como biruta
Mesmo que adulador
Será sempre um anão
Sem ofensa
Falta-lhe ambição
Não sonha
Parece sem objectivos
Sem ambição como condição

Daniel Costa


2 comentários:

  1. Daniel,

    através deste poema uma comparação entre as condições do nascer e do ser. Linda ilustração e poema.

    Beijos querido amigo.

    ResponderEliminar