terça-feira, 21 de setembro de 2010

POEMAS UM HOMEM SÓ


SELECOR

Luz, sol e cor
Viver com amizade
Foi assim a Selecor
Emílias, foram três
Como se houvesse amor
Idílios talvez
De Emílio senhor
Mais uma aconteceu
Não foi sonho, nem fantasia
Talvez escuro, como breu
Coisas da memória
Ninguém leu
Medito nas coincidências
Estes acasos, vivi-os eu
Vidas de esplendores
Bastantes “acasos”
Devaneios e amores
Tudo feneceu
Uma partida de avião,
A modernidade valeu
Esplendores!...
De tudo aconteceu
Escuras e vãs glórias!...
Dias e noites de breu
Desconhecida partida
Um dia aconteceu!...

Daniel Costa

3 comentários:

  1. Querido amigo,

    os dias de nossa existência tem alternâncias de claridades e breus. Tudo tem o seu ciclo. Mas que aconteça!

    Carinhoso beijo

    ResponderEliminar
  2. Nem sei como comentar, sinceramente, meu amigo. Mas a Sarinha já disse tudo por mim, são os ciclos, as alternâncias...a roda-viva.

    Parabéns, amigo!!!Bjsss

    ResponderEliminar